Follow by Email

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

AÇÃO DE FORMAÇÃO, Faro




Práticas colaborativas na intervenção social junto de pessoas e famílias que enfrentam doença mental (para profissionais sociais)  

Na intervenção social e comunitária, os profissionais deparam-se frequentemente com pessoas e famílias que enfrentam dificuldades ao nível da sua saúde mental que afetam a sua capacidade de viver de forma plena e autónoma. A identificação e amplificação das forças e recursos familiares em situações continuadas de vulnerabilidade económica, social e de saúde, constitui um desafio que requer uma permanente atualização e treino de competências/técnicas. Esta formação pretende preparar os profissionais sociais para: i) conhecer os sintomas de quadros sintomatológicos de doença mental – quais as manifestações e como responder adequadamente; ii) reconhecer e descrever comportamentos que causam preocupação (e não a realizar um diagnóstico clínico) e iii) identificar estratégias para facilitar a prestação de apoio psicossocial a pessoas e famílias que experienciam doença mental.
CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS
1.            As abordagens colaborativas (centradas nas soluções): componentes centrais
2.            A intervenção familiar em contextos não clínicos: orientações e limites
3.            Papel do Profissional Social na intervenção junto de pessoas e famílias que enfrentam doença mental
4.            Competências para lidar com pessoas/famílias que enfrentam doença mental
5.            Intervenção social e familiar em situações específicas: estratégias e limitações (e.g., perturbações do humor; psicoses; perturbação de acumulação)

OBJETIVO GERAL
Esta ação de formação pretende capacitar os profissionais que estão na prática direta para o uso de técnicas e estratégias centradas nas soluções junto de pessoas e famílias que enfrentam doença mental em contextos de vulnerabilidade social/económica. Através da realização de exercícios práticos (e.g., análise de casos; preparação de visitas domiciliárias) os profissionais irão planear e desenvolver uma abordagem colaborativa que contribua para o aumento da auto-confiança no trabalho social junto das pessoas e famílias que enfrentam doença mental.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  1. Compreender os princípios das abordagens centradas nas soluções junto de pessoas e famílias que enfrentam doença mental
  2. Reconhecer o papel, competências e limitações do profissional social no trabalho não-clínico
  3. Desenvolver competências de planeamento e entrevista familiar
  4. Compreender a complexidade e os desafios inerentes à intervenção familiar junto de públicos vulneráveis e resilientes específicos.

METODOLOGIAS DE FORMAÇÃO E AVALIAÇÃO
A metodologia de ensino-aprendizagem conjuga o método de exposição participada, com metodologias mais dinâmicas, ativas e experienciais. Inclui análise e discussão de casos e treino especifico de competências aplicadas ao atual contexto da intervenção social.

DIAS 15 e 16 março
HORÁRIO 9h30 às13h00 e das 14h00 às 17h30
DURAÇÃO 14 horas
LOCAL Sala da Assembleia Municipal - Loulé
INSCRIÇÃO Associados da EAPN Portugal: 35€ // Não associados: 55€
PÚBLICO-ALVO Técnicos e dirigentes de ONG’s e Organismos Públicos
ÁREA DE FORMAÇÃO 762 – Trabalho Social e Orientação
MODALIDADE DE FORMAÇÃO Formação contínua de atualização.
FORMA DE ORGANIZAÇÂO Formação presencial
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO Prioridade a associados da EAPN Portugal // Número de ordem de receção da inscrição
CERTIFICADO DE FORMAÇÃO Presença obrigatória em pelo menos 80% do total da duração da ação e aproveitamento no final da formação
FORMADORA
Sofia Rodrigues – Psicóloga, Terapeuta Familiar e Doutoranda em Psicologia na Universidade de Aveiro; Licenciada em Psicologia, ramo Psicologia Clínica Dinâmica-Sistémica; Pós-graduada em Análise e Intervenção Familiar; Especialização em Intervenção Sistémica e Familiar pela Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar; Co-Autora do livro “Famílias pobres: desafios à intervenção social”. Desenvolve diversas atividades de consultoria, supervisão e formação para profissionais em território nacional nas áreas de intervenção social com famílias muito vulneráveis, gestão de caso, abordagens colaborativas e metodologia Photovoice.
INFORMAÇÕES E INSCRIÇÔES Ficha de Inscrição em anexo // A Ficha de Inscrição pode ser fotocopiada

Após confirmação da sua inscrição, o pagamento deverá ser efetuado por transferência bancária, numerário ou cheque (à ordem de EAPN – Rede Europeia Anti-Pobreza/Portugal, Associação).


As inscrições são limitadas a 20 participantes e devem ser realizadas até ao próximo dia 8 de Março para:
EAPN Portugal / Núcleo Distrital de Faro
Rua D.Jerónimo Osório nº 5, 2º Dto, 8000-307 Faro
Telem 914214522 | E-mail:  n.faro@eapn.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário