Follow by Email

sábado, 15 de outubro de 2011

"Uma outra resposta à crise é possível e urgente"


[Padre Jardim Moreira, Presidente da EAPN Portugal]

Pessoas em situação de pobreza reúnem-se e apontam caminhos

Cerca de uma centena de pessoas em situação de pobreza e exclusão social reúnem-se, na próxima segunda-feira, 17 de outubro, Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, no hotel Tuela, no Porto. O fórum, organizado pela EAPN Portugal, sob o lema “Uma outra resposta à crise é possível e urgente”, visa dar voz às pessoas que normalmente não a têm. São pessoas que se deslocam de todos os distritos do país e que integram diversos grupos de trabalho, tendo participado em várias reuniões. Para além da sua própria experiência de vida, leram, analisaram e descodificaram documentos como o Plano Nacional de Reformas e o Memorando da Troika.

Deste modo, os participantes irão debater os principais desafios colocados pela crise e as medidas que podem ser adoptadas para acautelar a situação daqueles que se encontram socialmente desfavorecidos. O debate será organizado em torno de quatro sub temas principais: o emprego/desemprego; as prestações sociais; a habitação e o papel do voluntariado na luta contra a pobreza.

«Temos procurado promover a cidadania e a participação das pessoas que vivem ou viveram em situação de pobreza e/ou exclusão social, particularmente entre os grupos sociais mais desfavorecidos. Esta premissa encontra-se na raiz da filosofia de atuação da Rede Europeia Anti-Pobreza», explica o Padre Jardim Moreira, presidente da EAPN Portugal.

«No cumprimento da sua missão de defender os direitos humanos fundamentais dos cidadãos e garantir que todos tenham as condições necessárias para o exercício de uma cidadania ativa e a uma vida digna, é fundamental que se dê voz a quem vive diariamente essa luta», diz o Padre Jardim Moreira.

«As políticas não podem ser desenhadas sem auscultar a opinião de pessoas que, no caso, vivem em situação de pobreza. Bem sabemos que em Portugal essa cultura não existe, mas a EAPN Portugal já a colocou em prática uns anos. É nossa missão dar voz a estas pessoas e levar o seu parecer às instâncias decisoras. São elas que legitimam a nossa intervenção» explica Sandra Araújo, diretora executiva da EAPN Portugal, acrescentando que, «o seu contributo é basilar para o crescimento inclusivo»

Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza

O 17 de Outubro, Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, tornou-se nos últimos anos, uma jornada de solidariedade para com aqueles que lutam, no mundo inteiro, para resistirem à pobreza e para a eliminarem. Este é um dia que pretende ser um contributo para que a dignidade da pessoa humana seja respeitada e para que o acesso e o exercício efetivo de todos aos direitos humanos seja uma realidade. É uma proclamação – à escala internacional – de todos os cidadãos solidários, ao mesmo tempo um apelo às autoridades nacionais e internacionais para que considerem os mais pobres como principais protagonistas da luta contra a pobreza, que as entidades responsáveis pelas políticas sociais, os associem à concepção, aplicação e avaliação das políticas que lhes dizem respeito.

Tendo como enquadramento principal o Programa Nacional de Reformas (PNR) 2020 e o “Ano Europeu das Atividades de Voluntariado que Promovam uma Cidadania Ativa” (AEV-2011), a EAPN Portugal quer, com este III Fórum Nacional, promover a participação de cidadãos que vivem (ou viveram) em situação de pobreza e/ou exclusão social, que integram o Conselho Consultivo Nacional e os Grupos locais da organização, através da partilha de conhecimentos e da apresentação dos trabalhos por estes realizados nos 18 distritos do país. Estes trabalhos decorrem em torno da discussão e contributos destes grupos para o PNR, de forma a promover o debate e a reflexão sobre alguns temas relativos à luta contra a pobreza e a exclusão social.


Objectivos específicos deste Fórum

► Reconhecer o direito das pessoas em situação de pobreza e exclusão social a viverem com dignidade e a participar plenamente na sociedade;

► Ouvir as pessoas em Situação de Pobreza e/ou Exclusão Social, sobre os vários sistemas com que interagem no seu quotidiano, promovendo o direito a serem escutadas em temas que diretamente influenciam a sua vida; particularmente o seu contributo específico pra o PNR.

► Ativar competências pessoais e sociais através da criação de um espírito de proximidade e de equidade entre todos os participantes promovendo a participação cívica.

► Promover o diálogo entre entidades públicas com responsabilidade nas diversas áreas da intervenção e as opiniões, críticas e desejos das Pessoas em Situação de Pobreza.

► Dar visibilidade à temática da luta contra a pobreza e a exclusão social

Nenhum comentário:

Postar um comentário